Pais do Leão

Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB1 O Leão de Arroios

Os Pais do Leão

Quem Somos

Somos um grupo de pais de alunos que frequentam a EB1 “O Leão de Arroios” em Lisboa.

Preocupados com o estado avançado de degradação e condições precárias da escola, que colocam em grande risco a segurança de centenas de crianças, decidimos fazer um Abaixo-Assinado junto dos pais e encarregados de educação.

Conseguimos reunir 330 assinaturas. Enviámos a listagem dos problemas de segurança e salubridade da escola à CML com um pedido de audiência ao seu presidente, para uma resolução urgente dos problemas encontrados. As obras foram realizadas e ao longo de todo o processo percebemos que poderíamos fazer mais. Concorremos à Associação de Pais e começámos um novo capítulo na EB1 O Leão de Arroios. Juntem-se a nós, precisamos de todos.

Quais os problemas iniciais?

Os problemas eram bem visíveis e diziam-nos que impossíveis de resolver….

 

1. Falta de Segurança dos alunos, funcionários e professores já que as portas exteriores são fechadas pelas funcionárias da escola de modo a impedir que os alunos saiam do recinto escolar sem autorização. Como as fechaduras existentes não são de segurança, em caso de emergência, estas portas têm de ser abertas com chave, o que dificulta a evacuação rápida e segura da escola.
2. Inexistência de um Plano de Emergência
3. Revestimentos exteriores no recreio degradados– pátio e terraços de recreio encontravam-se degradados causando inúmeros acidentes às crianças.
4. Recreio principal muito degradado com zonas insuficientes de protecção da chuva e sombreamento
5. Guardas, vedações e estruturas dos toldos exteriores em risco de queda, assim como os candeeiros exteriores. Alguns pedaços terão inclusive caído só por sorte não atingindo qualquer aluno.
6. Coberturas – Infiltrações graves em salas de aula que obrigaram à desativação de uma sala de aula e passando a mesma para a Biblioteca devido ao risco iminente de curto circuito.
7. Pavimento do ginásio empolado e degradado devido a infiltração
8. Infiltrações no interior da escola
9. Acessos à escola

Desde a sua construção, em 1987, a escola não tinha sido submetida a qualquer intervenção prevista na legislação. Não obstante os problemas identificados, a escola necessitava ainda de obras gerais de conservação e de remodelações pontuais, tais como substituição das instalações sanitárias, sub-dimensionadas, com portas a abrir para o interior, falta de tampos nas sanitas, etc.

 

Que medidas Tomámos?

Começámos por reunir com a Câmara Municipal de Lisboa que nos informou que simpatizava muito com a nossa causa mas que não tinha verbas para assegurar a execução de qualquer obra profunda. Só conseguiria resolver questões mito urgentes como a remoção de toldos em conjunto com a Junta de Freguesia.

Como a resposta da CMl foi insatisfatória dada a gravidade da situação resolvemos tomar ação e:
1. Começámos por divulgar a nossa iniciativa
Com Afixação de cartazes com fotos dos problemas da escola, de modo a aumentar o impacto social. (contamos com a ajuda de todos para distribuir estes cartazes em locais estratégicos na proximidade da escola).
Tentámos a atenção dos jornalistas para divulgação generalizada do que se passava
2. Exercemos Pressão sobre as autoridades
Estabelecemos datas limite para a obtenção de respostas por parte das autoridades

cartaz-divulgacao-rua

A nossa escola foi notícia

O Correio da Manhã teve conhecimento do estado de degradação da escola e falou connosco. Fomos notícia.

http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/sociedade/detalhe/escola-degradada-deixa-400-alunos-em-risco.html

CM

 

Fizemos reuniões de pais para debater o que fazer e que passos tomar, informando a comunidade educativa sobre o que se passava.

Finalmente reunimos com a Junta de Freguesia e com a Câmara Municipal de Lisboa e iniciou-se um processo de diálogo indispensável para que os problemas da escola pudessem ser resolvidos. No entanto houve muitas perguntas que ficaram sem resposta nessa reunião e, por isso, fomos a uma reunião de Câmara questionar o executivo e aí obtivemos algumas respostas às nossas questões e permitiu que o impossível acontecesse e as obras fossem realizadas durante as férias de Verão

Voltámos a ser notícia no jornal.

http://www.publico.pt/local/noticia/pais-de-alunos-de-arroios-lisboa-queixamse-de-elevado-estado-de-degradacao-de-escola-1660516

Depois de tudo, a CML decidiu avançar com as obras mais urgentes e conseguiram o que nunca antes tinha sido possível. Uma intervenção que permitiu resolver parte dos graves problemas, durante o periodo de férias escolares sem atrasar um único dia o início do ano letivo 2014/2015.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s